Como aplicar a robótica na sua empresa

A robótica é uma tecnologia que pretende revolucionar nossas empresas. Nesse texto você vai descobrir como e onde os robôs vão impactar a indústria. Além disso, esse texto contém um passo a passo de como implementar a robótica no seu negócio. Vamos lá?

Breve história da robótica

Antes de tudo, no começo, como ainda não existiam tecnologias como eletrônica e processadores, os robôs eram movimentados por sistemas de peso e pneumática. Seu principal objetivo, considerando as limitações, era o entretenimento. 

Contudo, em pleno século XXI com avanços como a Inteligência Artificial, Realidade Aumentada e Big Data, a robótica ganha fortes aliados para se tornar uma das invenções mais importantes da humanidade. 

>> Clique aqui e veja nosso ARTIGO sobre quais nichos industriais serão afetados pela robótica <<

A ROBÓTICA VEIO PARA FICAR E PROMETE CRESCER MUITO NOS PRÓXIMOS ANOS.

Como serão as plantas industriais do futuro?

Provavelmente, quando pensamos no assunto robótica, as primeiras imagens que vêm em nossa cabeça são daquelas máquinas que substituem o ser humano em tarefas que exigem movimentos simples e repetitivos.

Por exemplo, você pode lembrar a cena do filme A Fantástica Fábrica de Chocolate em que o pai do Charlie perde o emprego. No seu lugar entra um robô que coloca tampas nos tubos de pasta de dente. De fato, a robótica pode ser aplicadas em partes específicas de um processo produtivo que se classificam como repetitivas e simples.

Entretanto, as plantas industriais automatizadas vão muito além, aplicando a tecnologia na manufatura como um todo e não mais em processos específicos.

>> Clique e descubra em nosso E-BOOK quais serão as profissões do futuro! <<

Veja a seguir as principais mudanças que a automação e a robótica podem trazer para uma planta industrial:

Colaboração Homem Máquina

No início os braços robóticos eram equipamentos robustos e poderosos, que precisavam trabalhar enclausurados para evitar acidentes, caso alguma pessoa entrasse em sua zona de atuação. Para superar essa barreira, os cientistas criaram os Robôs Colaborativos (Cobots). São máquinas capazes de trabalhar em espaços compartilhados com o ser humano.

Não só conviver mas executar tarefas em conjunto. Em uma linha de produção essa integração pode ser valiosa. O robô fica responsável por executar tarefas que exigem mais força ou maior repetibilidade, como pick and place, empacotamento ou montagem. O ser humano, nesse contexto, deve executar tarefas relacionadas à análise, validação, testagem ou até mesmo atividades de fabricação que são mais variáveis ou que podem envolver criatividade.

Os robôs colaborativos são desenvolvidos com sistemas de segurança capazes de detectar a presença de outros corpos em seu movimento e tomar decisões como desviar, frear ou parar, mitigando riscos de colisão.

Integração e Conexão de Processos

Quanto maior o valor gerado por uma indústria, mais complexo é o seu processo de produção. E quanto mais complexo, mais difícil é o monitoramento e controle em tempo real de todas as partes que compõem essa produção. 

Nesse ponto, a tecnologia IoT se soma à robótica, possibilitando que os processos automatizados gerem dados em tempo real. Essas informações podem ser trafegados através de Redes Industriais (por exemplo, usando o padrão PROFINET) e agrupados em bancos de dados inteligentes. Assim, é possível integrar partes até então separadas de uma manufatura, deixando o processo mais síncrono e ordenado, tomando todas as decisões baseadas em dados e de forma automatizada. 

Além disso, essa tecnologia da informação avançada permite o monitoramento em tempo real, buscando melhorar a eficiência e resolver falhas enquanto o processo está em operação. Acrescentando a Inteligência Artificial na brincadeira é possível até mesmo prever essas falhas.

robótica e gêmeo digital - simulações 3D

Gêmeo Digital

O conceito de gêmeo digital (Digital twin) consiste em uma reprodução fiel de um objeto, atividade ou ambiente, não só no seu aspecto físico como também funcional. Criando um Digital Twin de uma manufatura, teremos uma réplica digital completa, repleta de informações e dados iguais ao sistema real. A partir dele é possível analisar e testar pontos de melhoria sem mover um parafuso do sistema real (principalmente, se parar a produção), com o objetivo de buscar a máxima eficiência e produtividade.

Se o sistema simulado apresentar os resultados esperados com a melhoria, basta aplicar na prática com um grau de assertividade muito mais elevado.

Por fim, considerando um cenário onde as células robóticas estejam equipadas com tecnologia de Machine Learning, elas mesmas podem analisar suas tarefas e indicar possíveis melhorias, considerando em sua análise as outras partes da linha produtiva.

células de automação - robôs capazes de executar várias funções

Células de Automação

Para esse tópico, nos ajuda trazer novamente a cena do filme A Fantástica Fábrica de Chocolate. Nela, o robô coloca tampas nos tubos de pasta de dente, uma função na qual a célula robótica permanece no mesmo posto de trabalho. Com a evolução tecnológica o mercado conta hoje com robôs mais robustos, completos e capazes de realizar diferentes atividades.

Partindo desse pressuposto, em uma indústria automatizada a célula robótica deixa de ser fixa, executando uma única tarefa, e passa a fazer parte de inúmeros processos, em diferentes bancadas ou estações. Isso traz maior personalização e flexibilidade do que em sistemas de produção linear. Combinando este pilar com a colaboração homem-máquina (citada anteriormente), podemos ter um linha de produção onde homens e robôs colaborativos permutam entre postos de trabalho de maneira dinâmica, buscando sempre a máxima eficiência produtiva.

robótica usada na intra logística, automatizando estoques

Intra logística

O conceito aplicado no tópico anterior pode também reinventar a intralogística em uma linha de produção. Como todas as etapas da manufatura estão conectadas (lembra da Integração e conexão de processos?) isso também inclui setores responsáveis pelos insumos usados durante a produção. 

Veículos guiados automatizados (AGVs) são capazes de levar peças ou recursos necessários para os robôs de produção envolvidos no processo. Essa entrega vai acontecer no momento exato da utilização do material, uma vez que todo o sistema está conectado.

Essa aplicação vai garantir que o processo produtivo continue sem interrupções. Um exemplo é o centro de distribuição da multinacional Amazon, que conta com mais de 100 mil AGVs responsáveis de realizar o transporte de todos os itens nos gigantescos galpões da empresa.

Como implantar a robótica em uma planta industrial?

Antes de mais nada, ficou bem claro que as indústrias que aderirem à automação e robótica estarão expostas a uma série de vantagens. Elas estão relacionadas ao produto, local de trabalho e produtividade. Vamos falar delas aqui:

Vantagens da Robótica:

  • Primeiramente, com a robótica é possível evitar que colaboradores necessitem executar tarefas de risco. Isso aumenta a segurança dentro do ambiente industrial. Ou seja, com sistemas de sensoriamento e alarme, além de capacidade de tomada de decisão com AI, os robôs evitam acidentes que poderiam causar insalubridade aos seres humanos.
  • Os robôs são precisos e podem exercer sua atividade de forma ininterrupta, desde que estejam conectados em uma fonte de energia. Além disso, são extremamente ágeis em seus movimentos. O resultado final é uma maior quantidade de produtos, em menor tempo, com menos erros. Assim a produtividade aumenta consideravelmente;
  • Robôs podem ser um alto investimento para empresa, mas a longo prazo a conta pode ser diferente. São equipamentos de longa duração, desde que recebam as devidas manutenções preventivas e sejam usados de forma correta. Além disso, as futuras atualizações de software podem se manter compatíveis com o hardware já adquirido pela empresa. Apresentam índices de falhas muito menores na execução de suas atividades, comparados a humanos. Por fim, robôs não sofrem distrações por acontecimentos externos;
  • Como são compostos de hardware e software, é possível extrair informações das células robóticas em tempo real. Sendo assim, podemos realizar análises de controle de qualidade e prevenção de riscos de forma instantânea.

Dicas para automatizar os processos com eficiência

A adaptação de empresas para os padrões da Indústria 4.0 está sendo tratada como prioridade em muitos centros industriais. Entretanto, você deve começar desenvolvendo um projeto. Assim evita desperdiçar recursos e investimentos. 

Sendo assim, alguns pontos que merecem atenção especial como primeiros passos para a implementação da robótica em uma indústria são:

dicas de como implantar a robótica na sua empresa
  • Primeiramente entender sua produção como um todo. Mapear processos e subprocessos envolvidos e seus fluxos de operação;
  • Dimensionar o tempo médio, custo, frequência e principalmente repetibilidade de cada atividade;
  • Levantar onde se encontram as seguintes atividades: As que geram gargalos. As que são fontes recorrentes de falhas. Por fim as que não agregam valor ou que geram duplicidade;
  • Analisar a infraestrutura de TI da empresa. Uma das grandes vantagens da robótica está na sua alta conectividade. Sendo assim, deve ser considerada a capacidade de cada parte do processo compartilhar informações em rede;
  • Buscar a consultoria de profissionais capacitados. Eles podem ajudar com os projetos de adequação à robótica/indústria 4.0;
  • Definir um cronograma de implantação. Nele você descobre as etapas, investimentos e adequações necessárias;
  • Programar treinamentos e capacitações para os colaboradores. Como veremos a frente, apesar da máquina ser inteligente, a intervenção humana qualificada é indispensável.

E pra trabalhar com robótica?

Em conclusão, podemos dizer que além do robô, um profissional é peça chave para aplicar essa tecnologia. Por isso, pensando tanto na empresa que precisará de um profissional capacitado, quanto nas pessoas que queiram trabalhar com robótica, escrevemos esse texto:

>> Robotista: é a profissão do futuro? <<

Assim, se você é um profissional que deseja trabalhar com robótica, nesse artigo te mostramos as habilidades e formação necessárias.

Bem como se você pertence a uma empresa que precisa contratar esse profissional, no artigo você poderá entender melhor sobre o perfil de colaborador que procura.

Boa leitura!

Quer se tornar um especialista em robótica?

Veja essa novidade lançada pela Exsto:

Saiba mais sobre o nosso Curso:

Robótica Industrial: Desenvolvendo Competências para Indústria 4.0.

Acesse o link abaixo:

>> CURSO Robótica Industrial: Desenvolvendo Competências para Indústria 4.0 <<

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: